segunda-feira

abarca

céu chumbo na baía de guanabara
barco carregando coisa
barca carregando gente
navio
assovio
do vento, o barulho do motor que
parece até o barulho do mar
que é o motor do mar?
quem matou o motor?
o motor morreu
viu? ouviu?
só o barulho do mar
o assovio do vento
a gente encarregada na barca carregada de gente
e o céu chumbo na baía de guanabara
e a noite caindo
escurecendo o mar sem motor
onde boia a barca de gente e o motor morto da barca
muita luz no centro da baía
viu?
uma plataforma
que parece até uma árvore de natal
não igual a da lagoa
que também é cor de chumbo
árvore da baía
plataforma
ilha de metal cor de chumbo
que carrega gente e motores
todos vivos
quantos motores cabem numa plataforma?
quantas pessoas? do que se encarregam?
na barca cabem mil e trezentas
quatrocentas de pé e novecentas sentadas
diz o informe
menos nas escadas
que não pode
diz o informe
mas todo mundo senta
a gente não aguenta, viu?
ainda bem que existem as plataformas
cheias de luz numa noite chumbada sem motor
só mar
o facebook é uma plataforma
que carrega mais gente que os barcos, navios, plataformas e barcas juntos
mais gente do que caberia na baía de guanabara
ouviu? o motor, ouviu? não
foi a plataforma
o facebook? não
a árvore de natal, a ilha
do facebook? não
a de metal, carregada de gente e de motor
ouviu?
a plataforma? não
o facebook, mensagem
kd vc?
ouviu?
o avião decolou na noite feita na baía de guanabara
o avião carregado de gente encarregada
carregado de facebook, viu?
kd vc?
o motor! o motor, ouviu?
a gente comemorou
a gente não aguenta, viu?
a barca andou
mesmo com a gente sentada na escada
o barulho do motor
o barulho do mar
a plataforma que brilha no meio da noite feita
o assovio do vento
viu? kd vc?
o motor da gente, a gente feita
a plataforma da noite
quantos navios cabem num facebook?
o que abarcam? quantas baías na plataforma? quantos aviões? quanto chumbo?
quantas guanabaras cabem na gente?
kd vc?
o motor descansa
mareja
a barca aporta
a gente desce
a gente não aguenta, viu?

2 comentários:

Thales Rafael disse...

Logo no começo lembrei daquele gemido fantasmagórico de metal rangendo na estação das Barcas. Senti o mesmo calafrio lendo as linhas e o mesmo pavor de estar à deriva nesse oceano tão raso de aparências.

Gostei muito da repaginada,bicho. Só comentei esse primeiro por ter suscitado a imagem em minha memória.

Thales Rafael disse...

Logo no começo lembrei daquele gemido fantasmagórico de metal rangendo na estação das Barcas. Senti o mesmo calafrio lendo as linhas e o mesmo pavor de estar à deriva nesse oceano tão raso de aparências.

Gostei muito da repaginada,bicho. Só comentei esse primeiro por ter suscitado a imagem em minha memória.