quarta-feira

Miguel embora Miguel

Miguel era um garoto confuso e contraditório. E na relação dessas qualidades, não se podia afirmar qual era causa e qual consequência. Menos ainda, que uma implicava na redundância da outra. Miguel não acreditava em sinônimos. gostava das teorias sobre significante e significado dee Saussurre. Apreciava a idéia de um significante, variando-se o contexto, adquirir vários significados. Todavia Miguel supunha que cada palavra possuía um sentido original e singular. Cada sginificante tem seu específico valor e exprime uma idéia definida. Portanto não existem sinônimos para Miguel. Até porque, se duas palavras servissem para expressar exatamente a mesma coisa, por que seriam diferentes? Por que seriam mais que uma?
Miguel gostava das teorias.
Uma vez, no bar com os amigos, Miguel viu que gostava de bares. Pensou que as melhores conversas e amizades se formavam e se mostravam nos bares, embora admitisse também que pudessem se dar em qualquer outro lugar. No Velho Continente por exemplo. Ainda assim, seria num bar. Ou melhor, num pub europeu. Miguel apesar de simples, gostava de requintes e, se estava na Europa, por que não num pub ao invés de um bar?
Enfim, no bar com os amigos, Miguel percebeu que não gostava de positivistas, ainda que admirasse a coragem que possuíam de defender apenas um ponto de vista. O garoto não acreditava em verdades absolutas e situações passíveis de única análise. No bar, Miguel percebeu que seus amigos eram todos uns positivistas e, temeu classificá-los assim porque desta forma agiria como um e talvez se tornasse igual. Pela conversa ele notou que não gostava de seus amigos. No entanto seus olhos reluziam vendo-os se maltratarem por suas teorias.
Miguel queria aquela coragem e determinação para ele. Na disputa pela razão, viu que seus amigos e positivistas em geral eram uns bundões sectários. Concordava com Paulo Freire que existem sectários e radicais. Os radicais discutem e defendem suas formas de pensar enquanto os sectários apenas divergem. Miguel pensou que de cem positivistas, dois são radicais e noventa e oito bundões. Na mesa do bar existiam bundões e radicais, embora não houvessem mais que seis pessoas. O garoto ria dos bundões e observava os radicais. Discordava destes, mas extasiava-se com a força que defendiam suas opiniões conclusivas ainda que desprovidas de argumentação básica. Miguel queria poder defender algumas opiniões formadas, mas não as tinha. É isso! Miguel queria ter opiniões!
Miguel era um garoto de teorias infinitas e conclusão nenhuma. Talvez por isso o seu insucesso com as meninas. Mas isso é irrelevante.
Miguel gostava de argumentações e chegava a se perder nelas. Em minutos, se des-dizia inúmeras vezes e chegava a lugar nenhum, embora fosse este o seu "lugar comum" (Miguel não gostava de rimas em prosas). Por ser assim, Miguel era um garoto crente e descrente de tudo. Não punha sua certeza em teoria nenhuhma, no entanto, acreditava em quase todas para que uma se chocasse com a outra e destruísse a possibilidade de uma única hipótese. Miguel acreditava para desacreditar, e vice-versa. O garoto acreditava que tudo estava da melhor forma quando tudo ia mal, e no contrário disso também. Miguel gostava de Voltaire. Acreditava ainda na alegria embora houvesse tristeza, ,no ódio, embora o amor, na fé, embora a razão, em Miguel. Embora Miguel.




(pra quem não conheceu o sociedadelt.blogspot.com)

sexta-feira

Produtividade em alta

Ontem de noite ela me rendeu 5 folhas A4 (frente e verso) em quarenta minutos. Nenhum intervalo pra álcool ou nicotina. Algumas horas de tristeza, outras de desespero, outras de boas lembranças, e alguns minutos ainda de esperança. Hoje de manhã, ela me rendeu dor de cabeça e indisposição.

segunda-feira

Mas um arrepio no cangote... ai ai...

Pior que sentir falta de alguma coisa que já teve, é perceber que já havia esquecido de sentir falta. Ainda bem que existem seres iluminados pra lembrar dos pequenos (e talvez melhores) prazeres. Pelos blogs internet afora, não consigo passar uma semana sem visitar "O carapuceiro" do Xico Sá. E semana passada: Uma pérola!

http://carapuceiro.zip.net/arch2007-09-30_2007-10-06.html

Eu apóio!

Por hoje basta. Enfim, a hora do dengo...

quarta-feira

Punch Drunk Love

Lena Leonard: You are so cute that I want to eat your eyeballs.
Barry Egan: You are so beautiful. I love you so much I want to smash your face in with a sledgehammer.
Lena Leonard: I love you so much I want to scoop your eyeballs out of their sockets and chew and suck on them.
Barry Egan: This is funny. This is nice.

-

"I don't know if there's anything wrong with me because I don't know how other people are.....Sometimes I cry a lot.....for no reason.."

-

Lindo filme. De fotografia a enredo. Sensível. Recomendo.

domingo